Especialista indica como pacientes oncológicos podem manter a autoestima

autoestima em pacientes oncológicos
8 minutos para ler

Algumas práticas são essenciais para melhorar os resultados do tratamento e elevar a autoestima em pacientes oncológicos. Cuidar dasaúde mental é tão importante quanto à atenção dispensada ao corpo: os sintomas invisíveis podem afetar a estabilidade emocional e comprometer as respostas às terapias utilizadas no controle do câncer.

De acordo com a psicóloga da Oncomed Renata Ribeiro, especialista em Psico-oncologia, o suporte profissional adequado e o apoio dos familiares são essenciais. Nesse contexto, a profissional vai explicar como trabalhar a autoestima durante o tratamento contra o câncer para fortalecer o lado psicológico e superar esse importante desafio. Acompanhe!

Como o tratamento influencia a autoestima em pacientes oncológicos?

De modo geral, a sociedade costuma atribuir valores muito altos aos aspectos relacionados à aparência física. Devido a essa cultura, a saúde da mulher pode ser prejudicada com as terapias do câncer porque muitas pensam ser impossível cultivar a beleza enquanto se tratam. 

Consequentemente, o lado emocional fica fragilizado e um dos primeiros sinais é a queda da autoestima. Quando essas questões se somatizam à dificuldade de aceitação da doença, o ideal é buscar ajuda profissional para prover o empoderamento necessário à superação desses problemas.

Segundo Renata Ribeiro, a atenção a esses aspectos são essenciais para amenizar a pressão psicológica nessas circunstâncias: “o medo da morte, o futuro incerto, a dificuldade financeira, a mudança nos papéis familiares e dos projetos futuros podem aflorar a angústia, a ansiedade, o estresse e a depressão.” 

Além disso, ainda é preciso lidar com as dificuldades na adesão ao tratamento e elaborar estratégias de enfrentamento do processo de adoecimento e tratamento. Nesse sentido, a psicóloga alerta para a necessidade de controle desses problemas: “sem controle, esses sintomas podem evoluir para um trauma ou mesmo um estresse pós-traumático.”

Portanto, mesmo diante dos impactos da descoberta da doença, a melhor orientação é procurar um apoio especializado para conseguir lidar com essas dificuldades iniciais. Conversar com quem já passou por essa experiência também é importante.

Nessa perspectiva, confira o depoimento de Ana Carolina Queiroga, uma das pacientes da Oncomed BH que superou os desafios do câncer de mama:

“Eu costumo dizer que passamos por fases: a primeira foi a fase da descoberta, em que assustamos muito com o diagnóstico. Em seguida, veio o medo, a depressão, uma leve sensação de revolta e muita ansiedade até chegar na aceitação.  

A partir daí, é preciso se adaptar a essa nova realidade e buscar maneiras de encarar a rotina com mais leveza. Um detalhe que me impactou muito foi a queda do cabelo. Foi uma fase que me devastou emocionalmente durante o tratamento, pois é um momento muito delicado. 

A princípio, eu sentia um misto de medo e vergonha, pois as pessoas me olhavam com pena, o que me incomodava. Com o passar do tempo, comecei a pensar no meu bem-estar e me equilibrei emocionalmente. Assim, apostei em alternativas como uma boa maquiagem, lenços e chapéus para enfrentar esse desafio e, logo, me senti mais forte e bela novamente.”

Em relação ao tratamento, Ana Carolina relatou como foi o acolhimento recebido pela equipe da Oncomed BH durante as sessões de quimioterapia. Mesmo que a reação ao tratamento seja diferente em cada paciente, o cuidado com a saúde emocional ajuda a fortalecer a autoestima em pacientes oncológicos.

Segundo a paciente, a primeira consulta fez toda diferença nos resultados. Observe que é possível perceber emoção na voz dela quando relata os detalhes do atendimento humanizado oferecido pela equipe multidisciplinar da Oncomed BH:

“Muito marcante para mim foi a primeira consulta com o Dr. Amândio, quando ele me explicou sobre o tratamento e os efeitos colaterais da quimioterapia. Ele disse que um deles seria a queda do cabelo. Nessa hora, caí no choro. Mas ele gentilmente me acolheu e chamou a Drª. Letícia que, com todo carinho, me abraçou e se emocionou comigo.

Outro momento foi com a Gilda, nas primeiras sessões de quimioterapia: ela sempre chegava no box onde eu estava tomando a medicação. Se eu chorasse, ela se aproximava e me confortava com suas palavras de fé e encorajamento. 

Tudo isso me deu força para seguir meu tratamento com esperança e um belo sorriso no rosto! Minha gratidão @oncomedbh por me acolher com tanto amor! “

Como a autoestima pode ser trabalhada nessas situações?

Do diagnóstico ao tratamento, o câncer envolve uma série de fatores que influenciam diretamente o bem-estar e a qualidade de vida do paciente. Segundo Renata, é necessário buscar formas de fortalecer a auto estima. Isso é fundamental ao alcance de bons resultados, principalmente do ponto de vista emocional.

“Os pacientes que estão equilibrados emocionalmente enfrentam melhor a doença, o tratamento e conseguem ter uma melhor qualidade de vida, inclusive com menos efeitos colaterais das medicações.”, afirma a especialista. Assim sendo, ela destacou algumas sugestões importantes para resgatar a autoestima em pacientes oncológicos. 

Veja quais são!

Assuma uma postura positiva 

Uma postura mais esperançosa é primordial para enfrentar o tratamento com mais leveza e, desse modo, não abalar o psicológico. Adotar esse comportamento ajuda a diminuir a pressão mental, melhora a imunidade e ainda traz melhores respostas dos tratamentos.

Nesse sentido, Ana Carolina destaca a importância de manter essa postura positiva diante da doença: “manter a autoestima elevada e buscar o equilíbrio emocional ajuda muito no tratamento. A minha dica é se ver no espelho como uma mulher linda e poderosa! Por isso, não se vitimize e nem se esconda atrás de um diagnóstico. Vá à luta, pois você pode vencer a doença.”

Entenda que as mudanças no corpo são temporárias

Entenda que as mudanças pelas quais precisará passar durante o processo de terapia são temporárias. Após a recuperação, os traços físicos voltam ao seu estado original. Mesmo sendo um grande desafio, manter boas expectativas é de extrema importância para ativar a defesa imune e fortalecer o organismo.

Buscar apoio dafamília e de amigos também influencia a autoestima. Se as condições imunológicas estiverem boas, reorganize a agenda e divirta-se. Sabe aquela viagem que você sempre planejou, mas precisou adiar? Talvez esta seja a oportunidade de conhecer novas pessoas e lugares e trocar experiências positivas. 

Acalme a sua mente e o seu coração

A última dica da psicóloga destaca a importância de manter a calma e de se apegar às emoções positivas.

Em relação aos traumas, obsessões, compulsões e angústias que podem surgir nesse cenário, ela recomenda: “o autoconhecimento, a identificação e nomeação dos sentimentos e como conseguimos “voltar à calma” no meio do caos é importante. Muitas pessoas utilizam da meditação, das orações, outras ouvem música, tomam um banho restaurador para encontrar a calma. E você? Que estratégia utiliza?” 

Por fim, Renata destaca a influência que os fatores psicológicos têm sobre a saúde integral dos indivíduos: “estados de estresse crônicos contribuem para a exaustão do organismo, provocando seu desequilíbrio. Assim, prestar atenção às mudanças físicas e psíquicas é de extrema importância para a busca de ajuda especializada, caso percebam que está difícil resolver por conta própria.” 

Como o tratamento da Oncomed BH pode ajudar os pacientes nesse sentido?

O tratamento da Oncomed BH é focado em intervenções humanizadas que acompanham o paciente e o seu familiar desde o diagnóstico até o pós-tratamento. Nossa clínica tem profissionais especializados em psico-oncologia — e cuidados paliativos — que possibilitam um suporte emocional centrado na promoção da qualidade de vida.

Em relação à atuação da equipe de psicologia, Renata Ribeiro destaca: “essa assistência ajuda na ampliação da consciência emocional frente ao momento atual vivido, na comunicação mais eficaz com a equipe e com a família. Também oferecemos escuta terapêutica para que os pacientes e familiares falem sobre seus medos, conflitos, crenças a respeito da doença e suas angústias.”

Por fim, vale destacar que manter a autoestima em pacientes oncológicos é um dos pontos essenciais damedicina preventiva, além de estimular todo o processo de reabilitação. Aliado ao trabalho multidisciplinar, o suporte especializado em psicologia oncológica da Oncomed BH é um dos diferenciais mais relevantes de nossa clínica.

Gostou deste post? Entre emcontato com a Oncomed BH e conheça nossas opções de tratamento!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!