Qual a importância do autoexame de mama e como fazer?

autoexame de mama
6 minutos para ler

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 60 mil brasileiras desenvolvem o câncer de mama todos os anos. Esse é um dos principais tipos da doença, sendo o segundo que mais mata no Brasil. Por isso, é tão importante que as mulheres, principalmente acima dos 40 anos, façam a prevenção, com o autoexame de mama e mamografia.

O ideal é se consultar com um médico todos os anos, realizando a mamografia, o principal método de detecção do câncer de mama. No entanto, o autoexame pode ser feito pelo menos uma vez por mês para que a própria pessoa verifique se há alguma anomalia.

O problema é que muitas mulheres ainda não sabem como avaliar alterações suspeitas e nem quando é necessário procurar orientação médica. Para ajudarmos, neste artigo, mostramos como fazer o autoexame de mama corretamente. Continue a leitura!

Como fazer o autoexame das mamas?

O autoexame deve ser feito em 3 etapas, que ajudam a verificar se há alguma deformação ou alteração, independentemente da posição da pessoa. Veja cada uma a seguir.

Observação em frente ao espelho

Para começar, é importante se posicionar em frente a um espelho, retirando a blusa e o sutiã. Depois, deve-se colocar as mãos na cintura e analisar o tamanho, o contorno e o formato de cada mama. Também podem ser observadas alterações na pele, no mamilo e na aréola, como manchas e descolorações. Por fim, os braços devem ser soltos e, em seguida, erguidos acima da cabeça, seguindo-se a mesma análise.

Apalpação em pé no chuveiro

Outra forma de fazer o autoexame de mama é no chuveiro, antes do banho. Assim, deve-se colocar a mão atrás da nuca, apontando o cotovelo para cima. Enquanto isso, a outra mão deve deslizar pelo seio, apalpando com a ponta dos dedos, em movimentos firmes e circulares, da axila para o mamilo. Depois, deve-se pressionar levemente o mamilo para reparar se há a saída de algum líquido estranho. É necessário manter a coluna sempre ereta, fazendo o processo de ambos os lados.

Apalpação deitada

Na última etapa, a pessoa pode deitar na cama, colocando um travesseiro embaixo de um ombro. Em seguida, é preciso levantar uma mão atrás da cabeça e apalpar a mama com a outra mão. A partir daí, deve ser feito o mesmo procedimento de apalpação realizado no chuveiro, trocando o travesseiro de lado para repetir o processo nas duas mamas.

Essa diferença de posição é muito importante, uma vez que a mama se movimenta de acordo com a posição do corpo. Dessa forma, dá para perceber melhor qualquer problema. Durante o banho, a espuma do sabão também pode ajudar a deslizar os dedos com mais facilidade.

O que observar no autoexame de mama?

O câncer de mama pode se manifestar de formas diferentes nas pessoas. Por isso, é fundamental ficar de olho em qualquer alteração suspeita, como inchaço, desconforto, nódulos e dores. A qualquer sinal, é necessário procurar orientação médica o quanto antes. O ideal é não fazer suposições antes de um diagnóstico correto. Veja o que deve ser observado no autoexame da mama:

  • alteração no formato ou no tamanho, com diferenciação entre os dois lados não notada anteriormente (é normal ter uma mama maior que a outra);
  • secreção de líquido incolor ou amarelado, sem que esteja em período de amamentação;
  • irritação no mamilo, com coceira e ardência;
  • feridas ou lesões em qualquer parte da mama;
  • porção da mama retraída, prejudicando o contorno;
  • alteração na textura, na cor ou na aparência da pele, semelhante à celulite;
  • inversão do mamilo para dentro ou qualquer outra alteração na posição dele;
  • dores nas axilas e nas mamas;
  • nódulo (caroço) que pode ser percebido com o toque;
  • dilatação dos vasos na mama.

Qualquer outra alteração que não conste nessa lista também deve ser observada. Caso seja detectada qualquer mudança, principalmente em um curto período de tempo, ela deve ser considerada. Se necessário, faça anotações sobre as mudanças percebidas para levar ao médico.

Como proceder se houver alguma alteração?

A primeira coisa a se fazer depois de perceber uma alteração no autoexame de mama é manter a calma. Nem sempre essas alterações significam, de fato, um problema. Inclusive, a maior parte dos nódulos é benigna, sendo formados por um acúmulo de gordura ou uma inflamação nos gânglios, por exemplo.

Isso não significa que o médico não deva ser procurado o quanto antes. Pelo contrário, quanto mais cedo se consultar, mais rápido você poderá se livrar da angústia de uma suspeita de câncer. Assim, o ideal é marcar uma consulta com um ginecologista ou mastologista.

Na consulta, o médico vai repetir o exame físico, pedindo a mamografia para a correta visualização da alteração. Esse é um exame de imagem, semelhante a um raio-x, mas apropriado para a investigação do câncer de mama.

No entanto, o melhor é não esperar que haja alguma alteração para procurar um médico. O ginecologista deve ser consultado todos os anos, com a realização de diversos exames de rotina. No caso da mamografia, ela é recomendada para mulheres acima dos 40 anos, ou a partir dos 35, para aquelas com histórico de câncer de mama na família.

Além disso, é essencial adotar hábitos saudáveis, como manter uma alimentação balanceada, fazer exercícios físicos regularmente, evitar bebidas alcoólicas e não fumar. Fazer um check-up médico anual pode ajudar a investigar outras doenças.

Vale lembrar que, apesar de mais raro, o câncer de mama também afeta os homens. Por isso, eles precisam ficar de olho em qualquer alteração que surgir na região do mamilo, principalmente para quem sofre com o sobrepeso.

Por fim, é preciso destacar que, por mais importante que ele seja, o autoexame de mama não substitui a mamografia para o diagnóstico do câncer de mama. Portanto, procure um médico para fazer exames de rotina para confirmar o diagnóstico e receber a orientação necessária sobre a prevenção e o tratamento da doença. De todo modo, ele é um ótimo auxílio para a manutenção da sua saúde.

Gostou de saber como fazer o autoexame de mama? Quer conhecer mais sobre o assunto? Então, entenda também a importância da prevenção do câncer de mama!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!