Câncer colorretal: saiba o que é, quais são os sintomas e os tratamentos

câncer de intestino
6 minutos para ler

As neoplasias são doenças com prevalência cada vez maior na sociedade, devido ao envelhecimento populacional e aos hábitos de vida adotados. O câncer colorretal, também conhecido como câncer de intestino, ilustra a realidade mencionada.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa em 2020 é de quase 41 mil novos casos. Além disso, acomete, aproximadamente, a mesma quantidade de homens e mulheres.

Diante da incidência crescente e dos riscos que oferece quando feito um diagnóstico tardio, é fundamental a educação em saúde para combater novos casos e aumentar o número de diagnósticos precoces. Confira mais sobre o assunto!

Entenda o que é o câncer colorretal

O sistema digestivo é um tubo que os alimentos ingeridos percorrem desde o momento da alimentação até a excreção. Basicamente, o bolo alimentar passa pela boca, pelo esôfago, pelo estômago e pelos intestinos delgado e grosso, quando finalmente é expelido pelo ânus.

Ao longo desse caminho, existe uma série de reações metabólicas, envolvendo até mesmo outros órgãos anexos, a fim de viabilizar uma maior absorção de nutrientes. O câncer de intestino acomete a porção final do tubo digestivo, mais precisamente o intestino grosso.

Nesse caso, o órgão é dividido em algumas regiões anatômicas, a saber:

  • cólon ascendente;
  • cólon transverso;
  • cólon descendente;
  • cólon sigmoide;
  • reto.

Portanto, o câncer colorretal pode surgir em qualquer uma das regiões mencionadas acima. Inicialmente, as células presentes na mucosa do órgão, ou seja, na parte interna do tubo, sofrem transformações.

As transformações em questão são chamadas de displasias, as quais podem evoluir e acentuar a proliferação das células, resultando em um adenoma. O adenoma também é chamado de pólipo, devido ao formato adquirido.

Nos casos em que os adenomas continuam se diferenciando e crescendo, há um risco maior de gerar um adenocarcinoma, que é o nome dado ao câncer de intestino. Então, o que inicia em um tumor benigno chamado de pólipo pode evoluir para o câncer em si.

Saiba quais os sintomas do câncer de intestino

Como vimos, existem diferentes fases do câncer colorretal. Inicialmente, as manifestações podem ser discretas, porém, ao longo do tempo, vão se tornando mais evidentes e prejudicando o bem-estar do paciente.

Os sintomas estão mais associados aos desconfortos abdominais, como dores, prisão de ventre ou diarreia ou até mesmo sangue nas fezes. Esses sintomas podem resultar na baixa absorção de nutrientes. Então, fraqueza, em decorrência de anemia, entre outros sintomas, também é comum.

Como visto, muitos sintomas são inespecíficos, de modo que poderiam ser questionadas outras hipóteses diagnósticas, como verminoses, hemorroidas ou úlcera gástrica. Assim, diante das manifestações, é necessário iniciar uma investigação mais apurada da real causa do problema.

Descubra como é feito o diagnóstico

Uma vez identificados os sintomas, o próximo passo é diagnosticar a condição. Reforçamos, mais uma vez, que, quanto mais precoce o diagnóstico, maior a chance de o tratamento surtir o efeito desejado.

Para isso, é feita uma investigação com exames clínicos, laboratoriais e de imagem. A pesquisa de sangue oculto nas fezes e a colonoscopia são, de fato, os exames mais importantes. Através da colonoscopia a lesão pode ser identificada e realizada uma biópsia.

O diagnóstico, então, é fechado por meio desta biópsia, um exame que coleta um pequeno pedaço da massa tumoral suspeita e faz a análise dela por meio de técnicas histológicas. Vale ressaltar que, em grupos de risco, também é necessário fazer os exames, como medida de rastreamento.

Conheça algumas formas de tratamento

Com a condição diagnosticada, é feito o planejamento da conduta. Na maioria dos casos, é possível curar o câncer, deixando o risco de recidivas diminuído.

Geralmente, a medida adotada para tratamento é o procedimento cirúrgico, no qual é retirada uma parte do intestino. Além disso, é importante avaliar se as células tumorais já atingiram os gânglios linfáticos. Tais gânglios são importantes para o sistema imune e, caso tenham sido atingidos, aumentam o risco de metástases.

Complementando, existem outras condutas utilizadas para aumentar as chances de sucesso, como a quimioterapia adjuvante, ou seja, pós operatória..

Em suma, o tratamento adotado deve levar em consideração o estágio da lesão em si e se houve metástase para outros órgãos. Reiterando, caso o diagnóstico seja tardio e outros órgãos sejam acometidos, torna-se menor a sobrevida.

Saiba como prevenir a condição

Agora que você já sabe como detectar o câncer de intestino e como fazer o tratamento, vamos entender como prevenir a condição. Para isso, é preciso considerar quais são os fatores de risco, a saber:

  • idade: igual ou acima de 50 anos;
  • peso: sobrepeso ou obesidade;
  • alimentação: baseada em carnes processadas e embutidos;
  • histórico familiar: com história familiar de câncer de intestino;
  • história individual: com histórico de câncer colorretal, de ovário, de mama ou uterino;
  • hábitos de vida: tabagismo, sedentário, entre outros.

Diante disso, é possível estabelecer alguns cuidados para prevenção. O primeiro deles é realizar exames de rastreamento a partir dos 45-50 anos.

Embora seja importante o rastreamento, é essencial adotar hábitos de vida saudáveis ao longo dos anos, como a prática de atividades físicas e uma alimentação adequada (principalmente com fibras, verduras e legumes). Enfim, o hábito de fumar também deve ser desestimulado.

Concluímos, enfim, que, para evitar o desenvolvimento do câncer colorretal, é essencial adotar medidas adequadas ao longo de toda a vida. Caso você tenha patologias inflamatórias do intestino ou apresente doenças hereditárias, como polipose adenomatosa familiar e câncer colorretal hereditário sem polipose, é necessário fazer o acompanhamento individual.

Seja devido aos fatores de risco, seja devido ao surgimento de sintomas, não deixe de consultar um especialista para combater o câncer de intestino.

Este post foi útil? Agora, que tal entender melhor como funciona o tratamento para câncer?

Você também pode gostar

4 thoughts on “Câncer colorretal: saiba o que é, quais são os sintomas e os tratamentos

  1. MUITO ÓTIMA EXPLICAÇÃO DEVIDO ALGUNS SINTOMAS PRECISAREI PASSAR POR UMA COLONOSCOPIA EM BREVE MINHA ALIMENTAÇÃO FOI TERRIVEL E ESTÓRIA D CÂNCER NA FAMÍLIA NÃO TEM TENHO 63 ANOS NUNCA PENSEI PASSAR POR ESSE PROCEDIMENTO MAS SERA NECESSÁRIO ADOREI A EXPLICAÇÃO PARABÉNS ME DEU MAIS FORÇA PARA ME CUIDAR OBRIGADA A TODOS

  2. Tenho a anos problema de hemorróidas externa e fissuras anal, sinto muita dor, o exame de colonoscopia é caríssimo ainda não tive como fazer então será possivel evoluir para o câncer de cólon.

  3. Foi descoberto em 2017 carcinoma mamário em minha mama direta e axilas direta foi feita a cirurgia e esvaziamento axilar junho de 2018 mais sempre aparece o ceroma isso me deixa preocupada em outubro de 2019 fiz a redução da mama esquerda e reconstrução da mama direita só que o mês passado fiz a ultra que o mastologista pediu deu que estou com um cisto na mama direta com todos os problemas e preocupações no mês de fevereiro minha mãe veio a falecer com câncer no intestino grosso em minha família existe vários casos da parte de minha mãe e do meu pai faço o tratamento com o tamoxifeno de 20 mg. Todos dias será por cinco anos estou preocpreocupada com minha pessoa além disso faço tratamento de depressão.

  4. Meu filho fez a colonoscopia, foi tranquilo, graças a Deus!
    Foi só uma alergia alimentar que ele teve. A alimentação dele agora é outra, ele está bem! Graças a Deus 🙏

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!