Câncer ginecológico: fique por dentro dos principais mitos e verdades

câncer ginecológico
3 minutos para ler

O público feminino pode ser acometido por uma série de doenças, inclusive em tecidos nobres do seu sistema reprodutivo, como útero, ovários, endométrio, vulva e vagina. Pensando nisso, preparamos este post para falarmos um pouco mais sobre o câncer ginecológico, assim você pode ficar por dentro dos principais mitos e verdades sobre o tema.

Embora o fato de se tornar um paciente oncológico ainda assuste bastante, felizmente existem maneiras de prevenir o câncer e os tratamentos de hoje são muito mais efetivos do que há alguns anos, sobretudo nas melhores clínicas.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura!

Quais são os mitos sobre o câncer ginecológico?

Como dissemos, o câncer é repleto de mitos. No caso do câncer ginecológico, um desses mitos é que apenas as mulheres mais velhas têm a doença. O fato é que, embora a maioria dos diagnósticos sejam feitos depois dos 50 anos, uma faixa mais jovem da população feminina vem sofrendo com tumores ginecológicos, notadamente o de colo de útero avançado.

Além disso, muita gente acredita que os miomas são grandes fatores de risco para desenvolvimento do câncer ginecológico, mas eles são benignos e somente em raras situações se tornam malignos. No entanto, o problema é que eles podem causar desconforto se aumentarem de tamanho, devendo ser tratados quando os primeiros sintomas surgirem.

Quais são as verdades sobre o câncer ginecológico?

Se o câncer ginecológico é repleto de mitos, também existem algumas verdades que devem ser propagadas. Uma delas é que a vacina contra o HPV é a principal arma que temos atualmente para a prevenção do tumor de colo de útero, por exemplo, uma vez que a presença do Papilomavírus Humano é responsável por quase 100% dos casos. 

Outro ponto relevante é que sangramentos vaginais durante a menopausa são um indicador de que a mulher pode estar com o problema e isso deve ser visto como alerta para procurar um bom ginecologista o quanto antes. Aliás, qualquer sangramento vaginal que fuja ao padrão do ciclo menstrual não deve ser menosprezado.

Como se prevenir do câncer ginecológico?

Por fim, não podemos deixar de falar que a prevenção é sempre o melhor caminho. Nesse contexto, fazer uma consulta periódica com seu ginecologista de confiança é muito importante, pois ele é o especialista devidamente preparado para avaliar o seu quadro, analisar sintomas, realizar o diagnóstico precoce e traçar condutas quando necessário.

Em termos de exames, a realização anual do Papanicolau é recomendada para manter o rastreamento regular e descobrir precocemente possíveis alterações. Como a maioria dos tumores está relacionada como o HPV, como dissemos, a vacinação preventiva é muito bem-vinda, sobretudo se realizada antes do início das atividades sexuais.

Agora que você já aprendeu um pouco mais sobre o câncer ginecológico, mantenha hábitos saudáveis de vida e não deixe de realizar consultas regulares com o seu ginecologista de confiança!

Gostou de aprender mais sobre o câncer ginecológico e ficar por dentro dos principais mitos e verdades? Ficou com dúvidas? Então, faça um comentário aqui no post!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Marque sua consulta pelo WhatsApp!