Cirurgia oncológica: quais os principais tipos e quando ela é necessária?

Cirurgia oncológica
4 minutos para ler

Durante um tratamento contra o câncer, é comum que o paciente tenha ansiedade e, até mesmo, medo da cirurgia oncológica.

Vale lembrar que o tratamento oncológico tem evoluído bastante nos últimos anos e, consequentemente, as cirurgias também. Atualmente, quando são necessárias, elas tendem a ser menos agressivas e invasivas, até mesmo porque os diagnósticos são cada vez mais precoces.

Para saber mais sobre os tipos de cirurgia oncológica existentes e suas principais recomendações, continue a leitura.

O que é a cirurgia oncológica?

A cirurgia oncológica é uma subespecialidade de cirurgia voltada para o tratamento dos tumores malignos. Como em outras áreas médicas, ela tem evoluído bastante, com cirurgias menos invasivas, como a robótica, e com desfechos cada vez mais favoráveis.

O tipo de cirurgia é extremamente dependente de vários fatores inerentes da doença e do próprio paciente, mas essa especialidade está inserida dentro de um contexto multidisciplinar, no qual a interface com outras especialidades é fundamental, como oncologia clínica e radioterapia.

Quando a cirurgia oncológica é necessária?

Existem vários procedimentos cirúrgicos que podem ser realizados durante o tratamento oncológico, com diferentes finalidades. Confira:

Diagnóstica

Algumas vezes, quando métodos menos invasivos não conseguem acessar o tumor para uma biópsia, pode ser necessário um procedimento cirúrgico para obtenção. Neste caso, a cirurgia teria finalidade diagnóstica.

A biópsia é um procedimento em que se retira uma amostra do tumor com intuito de se fazer o diagnóstico específico do tipo de célula causadora do câncer. O material coletado é analisado por um patologista que emite a sua impressão sobre o tipo de tumor e suas particularidades, por meio da elaboração de um laudo anatomopatológico.

Curativa

A cirurgia frequentemente é utilizada para o tratamento de diversos tipos de tumores malignos, e com intuito curativo. Muitas vezes o tratamento cirúrgico exclusivo pode ser suficiente, como em alguns tipos de câncer de pele, mas em outros casos o tratamento cirúrgico pode se dar em um contexto multidisciplinar, associado a outras formas de tratamento antes (neoadjuvante) ou depois (adjuvante) da cirurgia, como quimioterapia e radioterapia.

Paliativa

Algumas vezes, a cirurgia pode ter o caráter paliativo. Ou seja, tem o intuito de melhorar o controle local da doença e aumentar a qualidade de vida do paciente.

Reconstrutiva

A cirurgia de reconstrução é aquela que visa à recuperação estética de um órgão que foi afetado por algum procedimento de combate ao câncer, como a reconstrução da mama.

Profilática

Já a cirurgia profilática é realizada em situações em que se objetiva retirar um órgão com alto risco de desenvolvimento de câncer. É indicada em casos muito específicos, especialmente em pacientes portadores de mutações hereditárias e após discussão detalhada de vantagens e desvantagens com os pacientes.

Qual é a importância de realizar o tratamento com a Oncomed?

É fato que, apesar de ainda precisarem ser bastante desmitificadas, as cirurgias oncológicas devem ser realizadas por profissionais altamente capacitados, que estejam acompanhando de perto o desenvolvimento do paciente e que busquem tanto a cura quanto a qualidade de vida dele.

Por isso, ter o apoio de uma clínica como a Oncomed, que é especializada em prevenção e tratamento de câncer, é fundamental para que todos os procedimentos sejam realizados de forma segura, sensata e profissional, colocando em primeiro lugar o paciente como um todo.

Está em busca de mais informações sobre cirurgia oncológica ou quer conversar sobre alguma etapa do tratamento? Entre em contato com a nossa equipe!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!