7 dicas de como cuidar dos seus pulmões

como cuidar do pulmão
6 minutos para ler

Saber como cuidar do pulmão é essencial para manter o bom funcionamento do órgão e ter mais condições de enfrentar infecções, principalmente durante o período de pandemia em que estamos vivendo.

Mesmo sendo um órgão complexo, o pulmão funciona como uma bolsa específica para a troca de ar. No entanto, priorizar cuidados que mantenham o pulmão no estado saudável possibilita que ele realize esse processo com mais eficiência.

Assim sendo, vamos apresentar 7 dicas para você melhorar a função pulmonar e respirar aliviado, mesmo que surja alguma eventualidade. Aproveite a leitura! 

1. Cuide da alimentação

Algumas doenças pulmonares são de caráter infeccioso e são facilmente transmitidas por meio de gotículas de secreção como as que são liberadas na tosse e no espirro. Porém, tais problemas ainda se tornam mais complicados quando o organismo está com a imunidade comprometida.

Nessas condições, o corpo fica enfraquecido e, por conseguinte, abre as portas para a atuação dos micro-organismos causadores de doenças, como os vírus e as bactérias. Então, é preciso cuidar melhor da alimentação e fortalecer o sistema imunológico.

Por isso, procure diversificar os alimentos e invista em vegetais verdes, frutas, grãos, sementes e cereais. Alguns tipos de alimentos contêm importantes antioxidantes que ajudam a renovar a células e combatem doenças pulmonares. Ainda, eles evitam a produção excessiva de muco, que interfere negativamente na respiração.

Igualmente relevante é reduzir ao máximo o consumo de refrigerantes, bebidas gaseificadas e alimentos industrializados e ultraprocessados. Além de comprometerem o trato respiratório e o digestório, nesses produtos há uma grande quantidade de insumos químicos potencialmente maléficos.

2. Faça exercícios físicos

Outra forma de cuidar do pulmão por meio de atitudes saudáveis e prazerosas é a realização de atividade física regularmente. Além de influenciar os aspectos gerais da saúde, tal prática ativa os músculos respiratórios e reforça a capacidade de trabalho pulmonar.

Outro ponto relevante é o combate à obesidade e às condições relacionadas a complicações provenientes do diabetes e da hipertensão arterial, doenças crônicas que causam grandes impactos sobre o funcionamento dos pulmões. Como o pulmão é basicamente formado por músculo liso, os treinos aeróbicos são fundamentais para ativar as células de defesa presentes em suas mucosas.

Logo, ao praticar atividades físicas, você não somente combate os males do sedentarismo como aumenta sua capacidade aeróbica, implicando em melhorias significativas para a saúde pulmonar.

3. Capriche na hidratação

A maior parte do nosso corpo é composta por água, mas, com o passar dos anos, o teor de líquido corporal tende a diminuir. No entanto, esse elemento continua sendo essencial para o funcionamento dos órgãos, o que exige mais atenção ao desenvolvimento de hábitos como a ingestão suficiente de água. 

Manter uma boa hidratação também contribui para a saúde dos pulmões e, sobretudo, para elevar o nível da capacidade respiratória. Normalmente, as células pulmonares secretam um muco que influencia diretamente a qualidade da dinâmica da respiração, mas a consistência desse muco depende da disponibilidade de líquidos nas células.

De modo geral — e desconsiderando as particularidades desse processo —, a eficiência do trabalho do muco e a elasticidade dos músculos na respiração dependem do consumo de água, isso porque o corpo humano é como uma máquina que trabalha de forma integrada. Assim, cada órgão precisa desempenhar o seu papel em prol do bem comum. 

4. Evite ambientes poluídos por substâncias químicas

Os locais que você tem o hábito de frequentar também afetam a saúde pulmonar. Dependendo do nível de poluição do ar de sua cidade, você pode inspirar substâncias prejudiciais e que são encaminhadas diretamente aos pulmões durante a inspiração. Por isso, procure evitar ao máximo ambientes com altas taxas de poluição ambiental.

A dispersão de partículas de poeira tóxica pelo ar é extremamente prejudicial às vias respiratórias. Logo, para quem precisa permanecer nesses locais por períodos mais longos, a orientação é utilizar máscaras com filtros de proteção. Igualmente relevante é aumentar a ingestão de água para hidratar os tecidos afetados e reduzir os prejuízos ao organismo.

5. Reforce a higiene pessoal 

Assim como é importante manter a limpeza da casa para evitar o acúmulo de poeira e de ácaros prejudiciais à saúde, os cuidados com o corpo são essenciais. Ou seja, manter uma boa higiene corporal ajuda não somente a prevenir as infecções pulmonares como também reduz os riscos de disseminar doenças contagiosas.

Nesse sentido, principalmente em meio à pandemia de coronavírus, a orientação é sempre lavar as mãos com água e sabão. O uso do álcool em gel é apenas para situações em que não é possível lavar as mãos. Também é importante não tocar os olhos, a boca e o nariz com as mãos sujas, pois elas são veículos de germes que causam diferentes doenças.

6. Evite o cigarro

Não fumar e evitar ficar próximo de pessoas fumando são cuidados primordiais para ter um pulmão forte e cada vez mais saudável. Além de ser uma forma de combate ao câncer, evitar o cigarro é fundamental para diminuir também os riscos de outras doenças respiratórias. 

Pessoas que fumam inalam inúmeras substâncias que causam graves agressões a todo o corpo. Além do comprometimento pulmonar, os componentes do tabaco também afetam o aparelho bucal, os rins, o coração e o fígado. Portanto, ao evitar o contato com os elementos do cigarro, você protege o pulmão e outros órgãos vitais. 

7. Faça exames preventivos

Pode-se concluir que é de extrema importância apostar na medicina preventiva para manter o pulmão saudável e evitar doenças respiratórias e o câncer de pulmão. É importante destacar que esse tipo de tumor é um dos mais incidentes no Brasil, sendo necessário buscar medidas mais eficazes para combatê-lo.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) alertam para a realidade que envolve o câncer de pulmão no Brasil: em 2015, a doença foi responsável por 26.498 mortes. Os dados são preocupantes e reforçam a importância de entender como cuidar do pulmão influencia essas estatísticas e protege a vida. 

Gostou do artigo? Curta a nossa página no Facebook  e acompanhe novidades exclusivas!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!