Exame papanicolau: entenda o que é e como ele é realizado

exame de papanicolau
4 minutos para ler

O exame citológico do colo uterino (ou colpocitologia oncótica cervical), popularmente conhecido como exame de papanicolau, é um dos mais importantes para as mulheres. Ele ajuda a detectar precocemente diversas doenças nos órgãos sexuais femininos, como o câncer de colo do útero e Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), elevando as chances de cura.

No entanto, muitas mulheres ainda têm medo ou se esquecem de fazer o procedimento, que é relativamente simples, apesar de causar algum desconforto. Para deixar você mais tranquila, neste post, explicaremos o que é o exame de papanicolau, quando e como ele deve ser feito. Leia!

O que é o exame de papanicolau?

O exame de papanicolau é um teste usado para analisar anomalias nas células do colo uterino, com o intuito de detectar uma alteração em fase inicial. Ele faz parte do check-up ginecológico básico, muitas vezes, sendo feito ainda no consultório médico, de forma simples e rápida.

O procedimento é realizado com segurança há mais de cem anos, sendo essencial para a prevenção do câncer de colo do útero e de outras doenças na região. O nome popular foi dado em homenagem ao patologista grego Georges Papanicolaou, que o desenvolveu no início do século XX.

No consultório ou ambulatório, o médico introduz um instrumento chamado espéculo na vagina da paciente. Ele faz uma análise visual da cavidade vaginal e do colo do útero, fazendo uma pequena descamação da mucosa com o auxílio de uma espátula e colhe uma amostra de células em uma lâmina.

Quais doenças ajuda a identificar?

De modo geral, apenas a visualização já é suficiente para descartar boa parte dos problemas de saúde. Isso porque o médico tem conhecimento e experiência para analisar o aspecto dos órgãos femininos. 

No entanto, caso o profissional perceba alguma irregularidade, como irritações, manchas e cicatrizes, pode encaminhar o material para análise laboratorial. Isso pode variar muito de uma paciente para outra, pois também vai depender do histórico e dos resultados de exames anteriores. 

Caso necessário, o material colhido da vagina pode passar por uma biópsia ou uma colposcopia, entre outros testes. Os exames ajudam a detectar, principalmente, a presença de células cancerosas, que indicam a existência de um câncer de colo de útero. No entanto, também pode diagnosticar:

  • diferentes ISTs, como sífilis e gonorreia;
  • candidíase;
  • HPV;
  • inflamações;
  • nódulos e cistos.

Como é o preparo para o exame?

O preparo para o papanicolau é relativamente simples. No momento da marcação do exame, a paciente é orientada a não ter relações sexuais três dias antes e não usar cremes e outros produtos vaginais. Também é bom marcar o exame, pelo menos, dois dias depois do fim da menstruação.

É importante que todas as mulheres que já tenham tido relações sexuais façam o exame de papanicolau, junto a outros testes, todos os anos. Caso o resultado tenha sido normal por dois anos seguidos, ele pode ser realizado a cada três anos. 

O exame é ainda mais importante para aquelas entre 21 e 64 anos, cujo risco de desenvolvimento do câncer de colo uterino é maior. No entanto, não é indicado para mulheres mais jovens ou que ainda não sejam sexualmente ativas, por ser um procedimento invasivo.

O fato é que um simples teste de rotina, como o exame de papanicolau, pode diagnosticar doenças graves, facilitando bastante o tratamento e aumentando as chances de cura. Por isso, é fundamental fazer um check-up ginecológico anualmente e fazer todos os exames solicitados pelo médico.

Conseguimos tirar as suas dúvidas sobre o exame de papanicolau? Quer saber mais sobre como se prevenir de doenças ginecológicas? Então, entenda o que é o vírus HPV e como tratá-lo!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!