Vitaminas em pacientes com câncer

falta de vitaminas
3 minutos para ler

Devido às alterações no apetite, a falta de vitamina é um quadro comum em pacientes oncológicos. Porém, existem algumas alternativas para conciliar a correção desse problema com tratamento contra o câncer. 

Nesse contexto, entenda a relação entre a qualidade da alimentação e capacidade de respostas aos tratamentos contra o câncer. Veja, ainda, como as vitaminas desempenham um papel essencial a esse processo. Boa leitura!

Por que os pacientes com câncer têm deficiência de vitaminas?

Os profissionais de diversas áreas de saúde têm buscado conhecimento que possibilite a promoção compreender melhor a relação entre alimentação, nutrição, exercícios físicos e o desenvolvimento do câncer.

Devido à dinâmica da doença, é preciso promover medidas educativas que conscientizem os pacientes sobre a importância de combinar tais aspectos e melhorar o estilo de vida. Isso porque o câncer é uma doença multifatorial, o que sugere a necessidade de um tratamento diversificado e focado nas necessidades mais importantes do indivíduo.

Em linhas gerais, essas deficiências de nutrientes, como vitaminas e sais minerais, acontecem porque os pacientes oncológicos apresentam muitas alterações no apetite. Em decorrência dos efeitos colaterais, eles têm mudanças significativas no paladar e costumam apresentar episódios constantes de náuseas e vômitos.

Consequentemente, esses pacientes se tornam mais frágeis e vulneráveis a problemas nutricionais. Para os profissionais de saúde, o fator preocupante é a perda de peso muito rápida e acentuada. Nessa condição, a defesa do organismo fica comprometida, o que dificulta o tratamento do câncer.

Como a falta de vitaminas impacta o tratamento do câncer?

Em geral, o baixo nível de vitaminas importantes para o bom funcionamento do corpo deixa o paciente mais fragilizado e pode até comprometer os resultados do tratamento. O câncer é uma enfermidade que modifica o metabolismo dos pacientes.

Por essa razão, nem sempre a quantidade de vitaminas e de outros nutrientes são suficientes para suprir essa demanda, o que exige mais cuidado para manter uma dieta equilibrada e um aporte nutricional adequado.

Consequentemente, o paciente apresenta maior risco de desenvolver anemia, fadiga e outros sintomas comuns à doença oncológica.

Como resolver esse problema?

Nessas condições, o ideal é conversar com a equipe médica e relatar os sintomas. O oncologista e o nutricionista responsáveis pelo paciente farão uma avaliação clínica criteriosa para decidir as melhores intervenções. 

Além dos cuidados com a alimentação, a qualidade da assistência prestada pela equipe multidisciplinar faz toda a diferença na recuperação do paciente.

Para melhorar a qualidade das respostas aos tratamentos, é necessário explicar para o paciente como a composição dos alimentos pode influenciar ou retardar o desenvolvimento dos tumores. 

De modo geral, elementos como açúcar e gordura estão muito presentes na alimentação. Entre outras questões, tais substâncias são responsáveis por fornecer a energia necessária para o crescimento das células tumorais.

Portanto, o ideal é que os pacientes em tratamento contra o câncer optem por alimentos mais saudáveis, ricos em nutrientes importantes para fortalecer a imunidade, como frutas, legumes e vegetais folhosos. Além de ajudar no aporte nutricional de vitaminas, eles têm ação antioxidante, função importante para elevar a capacidade de renovação celular. 

Gostou deste artigo? Aproveite e veja também

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!