Entenda a importância da doação de sangue e quando é necessária

importância da doação de sangue
4 minutos para ler

Constantemente, vemos campanhas publicitárias conscientizando sobre a importância da doação de sangue e convocando as pessoas a participarem.

O sangue é insubstituível no corpo humano, e uma única doação por ajudar até cerca de quatro receptores diferentes. Esse gesto de solidariedade é capaz de salvar a vida de pessoas em diversas situações, como aquelas com doenças crônicas ou que sofrem intervenções médicas de grande complexidade.

Além disso, em situações específicas, como é o caso da epidemia de Covid-19, a doação espontânea e regular é essencial para que os hospitais tenham sempre um estoque considerável — e possam salvar vidas em situações emergenciais.

Quer saber mais sobre a importância da doação de sangue, e como ela pode ajudar no tratamento de pacientes oncológicos? Continue a leitura!

Os diferentes tipos sanguíneos

Os glóbulos vermelhos têm uma identidade que permite a classificação do sangue em diferentes tipos: A, B, AB e O. Já o fator Rh é uma proteína presente nesses glóbulos, e a partir deles podemos definir como positivo ou negativo.

Assim, existem oito diferentes tipos sanguíneos, sendo que o O- é considerado o doador universal e o AB+, o receptor universal. Uma curiosidade é que, no Brasil, 87% das pessoas têm o sangue dos grupos O e A.

A importância da doação de sangue no tratamento oncológico

Muitas vezes, durante o tratamento contra o câncer, são realizadas cirurgias de alta complexidade que, naturalmente, vão demandar a reposição do sangue. Também existem muitos tratamentos com quimioterapia e radioterapia que podem acabar afetando a medula óssea e, por consequência, alterar a produção de sangue do paciente.

Nesses casos, a produção de sangue do paciente é afetada, e ele pode apresentar quadros de anemia, além de níveis baixos de plaquetas e leucócitos — tornando necessário o recebimento de sangue de um doador para repor essas células sanguíneas. Por fim, essa doação também pode ser precisa para ajudar na coagulação do sangue do paciente oncológico.

A doação e a Covid-19

As doações de sangue, que já eram consideradas insuficientes antes da pandemia, tiveram o seu quadro agravado pela atual situação. Assim, os órgãos responsáveis solicitam que toda pessoa em boa saúde entre em contato com os bancos de sangue para saber como proceder e não deixar de ajudar.

Os locais estão prontos para receber os doadores com total segurança: todos os doadores e profissionais devem seguir as medidas de higiene e manter a distância indicada, a fim de diminuir os riscos de contaminação.

Os requisitos básicos para doar sangue seguem os mesmos de antes do coronavírus, mas existem algumas ressalvas em relação à doença. Confira:

  • pessoas que tiveram sintomas respiratórios ou febre nos últimos 30 dias não podem fazer qualquer tipo de doação;
  • se o doador teve contato com alguém que apresentou os sintomas da Covid-19 (e que foi testado positivo), não poderá fazer a doação por um período mínimo de 14 dias.

Durante uma pandemia, percebemos a nossa fragilidade e, ao mesmo tempo, a nossa força. A doação de sangue nesse momento, e em todos os outros, é um gesto de solidariedade e humanidade, que fará mais bem a quem doa do que a quem recebe. Para saber onde doar, consulte a lista do Ministério da Saúde.

E você, já é um doador de sangue ou já precisou de uma doação? Conte a sua história aqui nos comentários!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!