Como fica a imunidade após a quimioterapia? Entenda

imunidade após quimioterapia
6 minutos para ler

O sistema imunológico é responsável por defender o corpo humano contra vírus, fungos e bactérias, estando presente em forma de células e moléculas. Durante a quimioterapia, que é um dos tratamentos utilizados para combater o câncer, essa imunidade pode ser prejudicada, deixando o paciente mais suscetível a infecções.

Dessa forma, saber como fica a imunidade após a quimioterapia é fundamental para prosseguir com os cuidados com a saúde, que pode continuar frágil por um determinado período.

Por isso, desenvolvemos este conteúdo para informar você sobre como fica o sistema imunológico após o tratamento com esses medicamentos e quais são os cuidados que precisam ser tomados. Confira agora mesmo!

Entenda os motivos da baixa imunidade

Como dissemos, o sistema imunológico está presente em nosso organismo em forma de células. O câncer, por sua vez, é uma doença em que células anormais crescem e se dividem de forma desordenada.

A quimioterapia, por sua vez, atua inibindo a proliferação de células. Mas, infelizmente, não há como separar aquelas que precisam ser eliminadas das que estão sadias. Como consequência, ela pode agir na medula óssea reduzindo a produção de células de defesa, como os glóbulos brancos.

Com isso, o sistema imunológico pode ficar fragilizado, e o paciente mais exposto a doenças, assim como ao agravamento das mesmas. Ou seja, há chances de ter infecções.

Conheça os cuidados após o tratamento

É importante dizer que nem todos os pacientes oncológicos vão apresentar baixa imunidade durante o tratamento. Essa consequência vai depender de aspectos do próprio organismo e do tipo de quimioterapia que está sendo aplicada.

Isso porque a quimioterapia não é um tratamento único para todas as pessoas e pode variar de acordo com diversos fatores, como o tipo e o local do câncer, fatores relacionados ao paciente.

Os principais cuidados que precisam ser tomados para evitar problemas com a baixa da imunidade são:

  • manter os cuidados habituais de higiene;
  • lavar as mãos;
  • ter uma alimentação adequada;
  •  em caso de febre, comunicar o médico e procurar o pronto atendimento.

Por fim, lembre-se de que os cuidados não se restringem aos pacientes oncológicos: os familiares e amigos que mantêm contato com a pessoa também precisam de cautela e, estando com sintomas gripais ou infecciosos, devem evitar a aproximação.

Saiba como aumentar a imunidade após a quimioterapia

Após o final da quimioterapia, é preciso ter em mente que o organismo vai levar um tempo para se recuperar e, certamente, tudo estará diferente do que era antes — principalmente no que se refere aos sentimentos.

A redução de leucócitos e a baixa imunidade tendem a passar com o tempo, pois o corpo vai voltar a produzi-los normalmente, assim como os outros agentes de defesa. Como consequência do tratamento, também pode surgir a anemia, trazendo sensações como fraqueza, cansaço e falta de ar.

Para lidar com todos esses problemas e aumentar a imunidade após a quimioterapia, algumas atitudes são bastante eficientes. Conheça as principais.

Mantenha uma alimentação saudável e eficiente

Os alimentos são aliados da boa saúde e, claro, do sistema imunológico. Consumir os ingredientes certos ajuda o sistema a produzir anticorpos, além de melhorar a sensação de falta de energia.

Aposte nos alimentos naturais, frutas, legumes e verduras (todos crus ou pouco cozidos), temperos como o alho e a cúrcuma, proteínas como carnes magras, ovos caipiras e peixes, além de ingerir muita água.

Não agrida o seu organismo

Por outro lado, evite alimentos processados, refinados, açúcar e frituras. Além de fazerem mal à saúde de forma geral, esses produtos reduzem a competência imunológica, atrapalham a absorção de nutrientes e sobrecarregam o sistema digestivo.

Aposte em nutrientes essenciais

Ainda que todos os alimentos saudáveis sejam benéficos, existem alguns que dão uma força extra ao organismo nesse momento após a quimioterapia, como algumas vitaminas, aminoácidos, própolis, lactobacilos etc. Vale a pena conversar com um nutricionista, para que ele dê boas indicações sobre o que ingerir e onde encontrar esses nutrientes.

Muitos sintomas são comuns após o fim do tratamento, mas isso não quer dizer que eles não demandem um acompanhamento médico constante. Respeite as indicações do seu médico, compareça a todas as consultas e não negligencie os pedidos de exames de sangue, colesterol, entre outros.

Veja quando a quimioterapia é necessária

A quimioterapia é indicada em diferentes situações — que vão variar conforme o tipo de câncer, o local, o estágio e as condições clínicas de cada paciente. Somente o médico oncologista vai identificar qual é a atuação necessária em cada caso.

Além disso, esses medicamentos podem ser utilizados em conjunto com outros, como a hormonioterapia e a radioterapia. Mais uma vez, essa indicação vai depender de uma combinação de fatores.

Por isso, o melhor a fazer é manter-se saudável e confiante, pois o sistema imunológico também responde aos estímulos relacionados ao psicológico — quanto mais positivo o paciente se mantiver, melhores serão os resultados.

Por fim, é necessário dizer que o tempo esperado para que a imunidade após quimioterapia volte ao normal, chegando a um nível seguro, também vai depender do tipo de quimioterapia e das condições do paciente. Cada caso é um caso, e o paciente deve trabalhar junto à sua equipe médica, a fim de obter os melhores resultados no menor tempo possível.

E então, conseguimos explicar a relação entre o sistema imunológico e a quimioterapia? Estamos abertos para conversar com você sobre qualquer assunto relacionado ao tratamento oncológico. Entre em contato!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!