O que é a leucemia? Conheça seus tipos, sintomas e tratamento

leucemia
6 minutos para ler

A leucemia é um tipo de câncer que afeta as células do sangue. A doença se manifesta com um descontrole na produção de elementos celulares da medula óssea, o que pode resultar em graves complicações à saúde.

A proposta deste artigo é esclarecer, de forma resumida, alguns aspectos da doença. Veja quais são os tipos de leucemia, os exames que ajudam a diagnosticá-la e as principais alternativas de tratamento. Ainda, entenda como o Fevereiro Laranja pode ajudar com propostas mais eficazes de conscientização sobre a doença. Confira!

O que é a leucemia?

É um câncer de origem desconhecida, que afeta as células da medula óssea, órgão responsável pela produção de vários elementos do sangue. A doença atinge primordialmente os glóbulos brancos (ou leucócitos). Dessa forma, ocorre uma maior produção de células sanguíneas doentes.

Nessa condição, uma mutação genética nas células sanguíneas — que ainda não atingiram o estágio de maturação — faz com que aquelas modificadas passem a substituir as normais. Como a célula anormal não consegue desempenhar as funções de maneira adequada, ela se multiplica com maior velocidade e morre mais devagar.

Como essa mutação ocorre, geralmente, em células jovens, as crianças são mais suscetíveis à doença. Ainda que as células sanguíneas do adulto também sejam renovadas periodicamente, em crianças, a atividade da medula óssea é muito maior.

Quais são os principais tipos?

Alguns tipos de leucemias são mais comuns em crianças do que nos adultos. Veja abaixo.

Leucemia linfoide aguda

Mesmo que afete também os adultos, esse é o câncer mais comum em crianças pequenas. Ele atinge as células linfoides e pode se agravar de forma rápida. O prognóstico depende de vários fatores específicos individuais.

Leucemia mieloide aguda

A doença ataca as células mieloides e tem o desenvolvimento acelerado. Ela pode surgir tanto em crianças quanto em adultos.

Leucemia mieloide crônica

Esse tumor também atinge as células mieloides. No entanto, ao contrário da forma aguda, ele tem uma evolução lenta. É um câncer que se desenvolve particularmente em adultos.

Leucemia linfoide crônica

Esse tumor também afeta as células do sistema linfoide. É mais raro na infância, tem um desenvolvimento lento e atinge preferencialmente pessoas com idade acima de 55 anos.

Como identificar os sintomas da doença?

O diagnóstico precoce é essencial para aumentar as chances de cura. Por isso, é preciso ficar atento aos primeiros sinais que ajudam a identificar a doença. Os mais comuns são:

  • cansaço extremo;
  • dores nas pernas;
  • tontura e desmaios;
  • sonolência em excesso;
  • manchas roxas na face e no corpo;
  • caroços no pescoço e inchaços indolores;
  • aumento do volume abdominal;
  • perda de peso inexplicável;
  • alterações na visão;
  • dor de cabeça;
  • palidez.

Quais são os principais fatores de risco da leucemia?

Ainda que as causas da doença não estejam tão bem elucidadas, há algumas condições que influenciam o seu desenvolvimento. Assim, enumeramos alguns dos fatores que podem elevar o risco de afetar a formação das células sanguíneas. Confira:

  • tratamento anterior de câncer: pacientes que já foram expostos à quimioterapia ou à radioterapia são mais propensos à doença;
  • histórico familiar: quando há casos em parentes próximos, são elevadas as chances do surgimento desse problema;
  • fatores genéticos: as alterações estão associadas ao desenvolvimento de anormalidades relacionadas à leucemia;
  • exposição prolongada a certos produtos químicos: benzeno, gasolina e outros produtos utilizados na indústria química acentuam os riscos;
  • tabagismo: a leucemia é um dos tumores que podem ser estimulados pelos elementos presentes no cigarro;
  • questões emocionais: depressão e ansiedade são considerados importantes fatores de influência para agravar o risco de desenvolver diferentes tipos de cânceres.

Quais são os exames que ajudam a diagnosticar a leucemia?

A suspeita de uma leucemia se dá, inicialmente, por meio da visualização de alterações no hemograma, exame que mostra a quantidade de células de sangue. A partir daí, o médico aprofunda a investigação e solicita procedimentos específicos para o diagnóstico.

Entre os exames mais importantes, destacam-se os elencados abaixo.

Anamnese específica

Quando há suspeita, o médico faz uma investigação mais detalhada durante o exame físico. O objetivo é procurar evidências físicas de leucemia. Aumento dos gânglios (linfonodos), aumento do fígado (hepatomegalia) e do baço (esplenomegalia) e pele muito pálida são sinais sugestivos da condição.

Biópsia

Esse procedimento é indicado para a confirmação mais precisa do diagnóstico. Normalmente, a biópsia da medula óssea é realizada a partir de uma pequena amostra de células dos ossos da região do quadril.

Mielograma

No mielograma, é coletada uma pequena amostra de sangue para proceder a uma análise mais criteriosa das células mais imaturas do sangue.

Quais os melhores tratamentos para a leucemia?

Os tratamentos são baseados em medicamentos, quimioterapia e cirurgias de transplante de medula óssea. O objetivo é destruir as células doentes para que a medula volte a produzir células normais. Mesmo que a leucemia ainda não tenha cura definitiva, o tratamento precoce é fundamental para melhorar a qualidade de vida e o bem-estar do paciente.

Também é importante adotar práticas que ajudam a lidar melhor com a doença: ter um estilo de vida saudável, cuidar da alimentação, evitar álcool e fumo e praticar exercícios físicos é essencial. Igualmente relevante é a atenção aos aspectos que envolvem a saúde mental.

Por que o Fevereiro Laranja é tão importante?

Assim como ocorre em todos os tipos de tumores, na leucemia, também há maiores chances de reversão dos sintomas quando é feito o diagnóstico precoce, como dito. Nesse contexto, as campanhas, como o Fevereiro Laranja, têm uma grande relevância para conscientizar a população sobre o tema e combater o câncer.

Esse tipo de ação ajuda a alertar as pessoas sobre os riscos relacionados à leucemia. A meta é propagar mais informações sobre o comportamento da doença e abordar mais claramente a importância de determinadas práticas, como a doação de medula óssea. Promover essa mobilização é um passo importante para a prevenção e para o tratamento da doença.

Como você pôde notar, a leucemia é um tipo de tumor que afeta a produção dos leucócitos pela medula óssea e pode ser diagnosticado no início. Por isso, é essencial buscar ajuda assim que houver suspeita dos primeiros sinais da doença e manter uma rotina de visitação periódica ao médico para preservar a saúde em dia.

Este artigo esclareceu as suas principais dúvidas sobre a leucemia? Deixe o seu comentário e participe de nossas publicações!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!