Oncocardiologia: entenda os cuidados durante o tratamento

Oncocardiologia
6 minutos para ler

Um tratamento oncológico envolve o trabalho multidisciplinar de vários profissionais de distintas especialidades médicas. Essa atuação em conjunto visa tanto a melhora mais rápida e eficaz do paciente como a prevenção e a minimização dos riscos durante e também após o final dos procedimentos.

A oncocardiologia é uma dessas áreas. Como uma subespecialidade da cardiologia, ela é voltada para o acompanhamento dos pacientes com diagnóstico de câncer, pois alguns tratamentos contra a doença podem prejudicar o sistema cardiovascular.

Em poucas palavras, podemos dizer que o oncocardiologista é o profissional que ajuda a resguardar o coração do paciente em tratamento de câncer, acompanhando a forma como as medicações podem afetar o órgão e todo o sistema cardiovascular.

Entenda mais sobre o assunto!

Como funciona um tratamento de oncocardiologia?

De acordo com o Dr. Fernando Carvalho Neuenschwander, cardio-oncologista da Oncomed BH, um dos maiores objetivos dessa especialidade é minimizar a toxicidade cardiovascular e cardiometabólica que pode ocorrer durante no tratamento oncológico, além de atenuar os riscos cardiovasculares depois do fim do tratamento.

Assim que o paciente é encaminhado ao cardio-oncologista na Oncomed BH, todo o acompanhamento é focado para prevenir complicações cardiovasculares. As principais ações nesse sentido são:

  • controle dos fatores de risco;
  • acompanhamento da história clínica;
  • monitoramento contínuo por meio de exames;
  • intervenções por meio de medicamentos, quando necessário.

Entre os exames que ajudam a identificar precocemente as alterações cardiovasculares, podemos destacar:

  • os laboratoriais (biomarcadores cardíacos, troponina e BNP);
  • o eletrocardiograma;
  • o ecocardiograma;
  • a tomografia de vasos pulmonares e das coronárias;
  • a ressonância nuclear magnética do coração.

O doutor Fernando Neuenschwander ressalta que é fundamental que tais exames sejam feitos por profissionais especializados na área e que também sejam seriados, feitos sempre pelo mesmo médico e no mesmo local.

Qual é a relação entre as doenças cardiovasculares e o tratamento oncológico?

As doenças do coração e as doenças oncológicas têm vários fatores de riscos e ambientais que são bastante semelhantes, como a dieta inadequada, o consumo de alimentos processados, a poluição, o tabagismo, as inflamações, entre outros.

Isso quer dizer que os problemas que podem desencadear (ou piorar) uma doença do coração são os mesmos responsáveis pelo surgimento ou agravamento de um câncer.

Além disso, algumas doenças que o paciente já tem podem gerar maiores complicações cardiovasculares durante o tratamento oncológico, como hipertensão, diabetes, colesterol elevado, insuficiência cardíaca e doença coronariana.

Por esses motivos, observar essas doenças e a relação entre elas é fundamental não apenas para acompanhar de forma correta o paciente, mas, até mesmo, para definir qual será o melhor tratamento quimioterápico, ou seja, aquele que vai ser capaz de reduzir a chance de complicações.

Quais sintomas cardiovasculares podem ocorrer ao longo do tratamento de câncer?

Mesmo com o acompanhamento médico e com as medidas tomadas para proteger o coração do paciente, alguns sintomas cardiovasculares são comuns durante o tratamento oncológico, como:

  • palpitação;
  • arritmias;
  • fadiga;
  • falta de ar;
  • inchaço nas pernas;
  • dor torácica.

Um fator interessante e que merece atenção é que esses sintomas, muitas vezes, são bastante semelhantes aos efeitos colaterais dos medicamentos utilizados pela quimioterapia e pela radioterapia. Dessa forma, eles podem acabar passando despercebidos.

Esse é mais um motivo pelo qual o acompanhamento com o oncocardiologista é tão essencial: apenas a visão e a experiência desse especialista serão capazes de detectar de forma precoce as situações de risco ao paciente, identificando os efeitos colaterais e os sinais de que algo está errado com o sistema cardiovascular.

Quais são os principais cuidados cardiológicos que precisam ser tomados?

A tecnologia tem influenciado de forma muito positiva os tratamentos oncológicos, tanto no que diz respeito à eficiência dos medicamentos quanto aos efeitos colaterais provocados por eles. O resultado são procedimentos mais eficazes somados a uma maior qualidade de vida dos pacientes.

Além de melhores, as opções de tratamentos também estão mais variadas, permitindo que a equipe médica possa perceber as particularidades de cada agente quimioterápico e, assim, selecionar o mais indicado para cada situação e paciente.

O oncocardiologista, por sua vez, vai identificar os fatores de risco modificáveis, que quando bem-controlados, reduzem de forma considerável o risco de complicações cardiovasculares. Os principais fatores que precisam ser acompanhados são:

  • hipertensão;
  • diabetes;
  • colesterol elevado;
  • tabagismo.

Segundo o Dr. Fernando, a atividade física durante o tratamento oncológico é essencial para a segurança do coração, bem como manter uma dieta saudável com o acompanhamento do nutricionista. Tais medidas, quando recomendadas pelo médico e feitas de forma correta, podem melhorar os resultados do tratamento.

Por isso, ele indica que os pacientes sigam as recomendações e realizem os procedimentos necessários nos tempos corretos. “Através da parceria entre médicos e pacientes, os melhores resultados serão alcançados”, afirma.

Quais são os diferenciais da oncocardiologia na Oncomed BH?

Apesar da importância dessa especialidade e do seu aumento significativo a cada dia, há poucos oncocardiologistas no Brasil.

Na Oncomed BH, o trabalho desse profissional já é desenvolvido há seis anos — a clínica é, inclusive, pioneira na oferta da oncocardiologia na cidade de Belo Horizonte.

Além de preservar a segurança do sistema cardiovascular dos pacientes, a Oncomed BH destaca como grande diferencial a estreita relação entre os oncocardiologistas e os oncologistas da clínica. E é essa interação e troca de informações que permite uma rápida tomada de decisão.

Esse, aliás, é um grande destaque da clínica: a equipe multidisciplinar e a relação entre os profissionais faz com que o tratamento funcione de forma mais rápida e eficaz: médicos, nutricionistas, enfermeiros, todos trabalham juntos em busca dos melhores resultados e da qualidade de vida de cada um dos pacientes.

A Oncomed BH conta, ainda, com vários parceiros experientes na oncocardiologia. O Dr. Fernando destaca, por fim, a atuação do enfermeiro Mário Carneiro, que faz brilhantemente uma interface entre médicos, equipe multidisciplinar e métodos complementares, trazendo grande ganho para a experiência do paciente na instituição.

Apesar de muitas vezes o câncer estar localizado em apenas um órgão ou área do corpo, o organismo precisa ser tratado como um todo, não apenas por causa da doença, mas também devido aos medicamentos e os seus efeitos colaterais.

A oncocardiologia trabalha para que todo o sistema cardiovascular seja protegido durante o tratamento oncológico e também depois, quando os procedimentos já terminaram. Essas ações garantem não só mais qualidade de vida ao paciente como também muito mais anos pela frente.

Este conteúdo foi interessante para você? Quer saber mais sobre o trabalho da Oncomed BH? Fale com a nossa equipe agora mesmo!

Você também pode gostar

Deixe um comentário