Afinal, qual é o momento certo de procurar um oncologista?

oncologista
7 minutos para ler

Receber o diagnóstico de câncer é uma situação bastante delicada. Muitas pessoas ficam extremamente tristes e, consequentemente, têm a sensação de que o mundo virou de ponta cabeça. Em situações adversas, ser proativo e resiliente pode indicar caminhos viáveis para superar as dificuldades e ter maior sensação de esperança e de controle.

Mediante essas circunstâncias, a escolha de um oncologista de confiança é fundamental para avaliar o quadro e adotar a terapia mais adequada, garantindo, desde os primeiros passos, uma jornada em direção ao combate ao câncer.

Tendo isso em vista, confira qual a função do oncologista e o que deve ser analisado na hora de escolher esse profissional. Boa leitura!

Quais são as funções de um oncologista?

Oncologia é a especialidade médica que lida com o diagnóstico, o tratamento e a prevenção do câncer. Essa é uma área muito abrangente, pois envolve desde o diagnóstico até o controle dos sinais e sintomas da doença. Desse modo, o oncologista é o médico responsável por direcionar a jornada do paciente na luta contra o câncer.

Também conhecida como cancerologia, essa especialidade médica está em plena expansão, visto que o câncer é uma doença de alta prevalência no Brasil e no mundo. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), 300.140 homens e 282.450 mulheres foram diagnosticados com a doença. Os dados são de 2018.

Vale ressaltar que o oncologista não é um especialista que atua somente na cura da doença. Em algumas situações, em que a cura não é possível, a função desse profissional é realizar o tratamento com intuito de aumentar o tempo de vida e, principalmente, a qualidade de vida do paciente, amenizando os sintomas indesejáveis.

A complexidade que envolve a área da oncologia contemporânea tem exigido muito mais comprometimento e responsabilidade desse profissional. Em muitos centros de tratamento, o trabalho do oncologista está associado a uma equipe multidisciplinar. Isso favorece a redução dos sintomas, visto que são utilizados conhecimentos de várias especialidades no combate ao câncer.

Geralmente, essa equipe multidisciplinar é composta por profissionais como psicólogo, dentista, clínico da dor, nutricionista e acupunturista. O objetivo desse trabalho integrado é promover o controle da doença e minimizar os efeitos deletérios sobre a saúde mental e física.

Em que situações se deve procurar um oncologista?

Muitos tipos de tumores não apresentam nenhum sinal ou sintoma nas fases iniciais. Por essa razão, é de suma importância a realização de consultas com um oncologista para orientação e avaliação diagnóstica por meio de exames específicos. Adotar medidas preventivas é fundamental para iniciar o tratamento precoce e controlar a doença.

Além da consulta de caráter preventivo, há outras situações em que pode ser necessário procurar um oncologista. Veja quais são as mais relevantes:

  • para buscar orientação quanto à necessidade de mudanças no estilo de vida a fim de adotar hábitos mais saudáveis para evitar o desenvolvimento de tumores;
  • para agendar uma consulta emergencial, caso suspeite ou descubra alguma massa no corpo que seja sugestiva de células cancerosas;
  • quando surgirem sintomas que indiquem a suspeita de câncer, como presença de sangue nas fezes ou na urina, corrimento vaginal crônico e dores abdominais ou na região intestinal;
  • quando houver presença de pintas novas ou diferentes na pele, principalmente quando assimétricas, de bordas irregulares, de mais de uma cor e que venham crescendo. Os indivíduos de pele branca são mais vulneráveis ao câncer de pele;
  • quando houver histórico de casos de câncer na família, já que a herança familiar é um fator que deve ser considerado. 

Como escolher um oncologista?

Na hora de escolher com quem fazer um tratamento oncológico, é necessário considerar alguns fatores que determinam o sucesso no acompanhamento com o oncologista. Enumeramos alguns critérios que não podem ser ignorados durante essa escolha. Confira!

Informe-se sobre a formação e a experiência profissional

Ainda que muitos oncologistas tratem de todos os tipos de tumores, alguns desses profissionais se especializam em áreas específicas da doença. Logo, é bem interessante encontrar um oncologista que tenha especialidade na área de que o paciente precisa.

Ter boa formação e ser experiente no tipo específico de câncer diagnosticado simboliza mais segurança e tranquilidade durante o tratamento. Por isso, ao escolher o oncologista, procure se informar sobre a formação e a experiência profissional dele. 

Devido às próprias características do câncer, a qualificação de um médico oncologista não pode ser limitada apenas à residência médica, mas a uma série de fatores que levam em conta a experiência e atualização do profissional na área.

Considere a disponibilidade do profissional e de sua equipe

Após a confirmação diagnóstica, o ideal é agendar rapidamente uma consulta com o oncologista para discutir as opções mais adequadas ao tratamento contra a doença. Por isso, na hora de escolher o médico, avalie a disponibilidade dele e de sua equipe. Opte por profissionais que tenham disponibilidade para prestar a assistência necessária e exigida pelo tratamento.

Para o sucesso da terapia oncológica, os pacientes precisam se sentir confortáveis e seguros com o seu oncologista. Os profissionais devem ter competência para dialogar e apresentar as melhores alternativas de controle da doença. O impacto emocional do diagnóstico deve ser considerado. Logo, o trabalho do oncologista deverá ser voltado para o contexto biopsicossocial do paciente.

Confira os tratamentos oferecidos pelo oncologista

Ao escolher o oncologista, um dos aspectos mais favoráveis ao sucesso da terapia é ter a certeza de que o profissional oferece toda a assistência necessária ao tratamento do câncer. É preciso conferir previamente se há coberturas para serviços, como diagnóstico por imagem, exames complementares e orientações técnicas direcionadas aos familiares do paciente. Além disso, poder contar com apoio integrado da psicologia é essencial.

Se houver necessidade, também é importante saber se o profissional acompanha alguns protocolos, como quimioterapia. Além disso, poder contar com apoio integrado da psicologia é essencial.

Considere a opinião de outros pacientes

Igualmente importante é conhecer a reputação do oncologista. Por isso, procure se informar e buscar referências com pacientes que já fizeram tratamento com ele. Busque orientação com os familiares desses pacientes. Isso ajuda a analisar a conduta e melhora a expectativa para receber diagnóstico e tratamento adequados.

Como vimos, o oncologista é um especialista responsável por todas as etapas do tratamento do câncer. Atenção, cuidado e competência profissional são fundamentais em todos os processos terapêuticos. O objetivo mais importante é adotar medidas paliativas para amenizar os sintomas da doença e trazer mais qualidade de vida e bem-estar ao cotidiano dos pacientes.

Agora que você já sabe qual o momento adequado para procurar um oncologista, entre em contato com a Oncomed e agende sua consulta!

Você também pode gostar

Deixe um comentário