Queda de cabelo na quimioterapia: 4 dicas para manter a autoestima!

queda de cabelo na quimioterapia
6 minutos para ler

Ao receber o diagnóstico de câncer, muitas perguntas vêm à mente, e uma delas está relacionada à queda de cabelo na quimioterapia. Apesar de parecer um detalhe pequeno quando comparado à vitória sobre a doença, a verdade é que esse fator mexe diretamente com a autoestima da pessoa em tratamento.

Para entender mais sobre o assunto e saber como manter a sua autoestima nesse momento tão importante da vida, basta continuar a leitura.

Por que ocorre a queda de cabelo na quimioterapia?

A alopecia (ou queda de cabelo) é um efeito relativamente comum de alguns medicamentos quimioterápicos. Isso porque o tratamento atinge todas as células do organismo que estão em fase de divisão ou de crescimento — e não somente as cancerígenas. As células capilares podem então ser afetadas, causando a queda dos fios.

Vale lembrar que nem toda quimioterapia resulta na queda dos fios (depende dos medicamentos necessários para cada tipo de câncer), assim como nem todas as pessoas apresentarão alopecia. Da mesma forma, há pacientes que começam a perder os fios por estresse, antes mesmo do início do tratamento. Alguns perdem os fios já no dia seguinte à primeira sessão, enquanto outros apresentam uma queda parcial.

Isso significa que a queda de cabelo na quimioterapia é um efeito colateral que deve ser esperado, assim como as náuseas, os enjoos, as diarreias, a fadiga, o ressecamento da pele, entre outros. Mas isso não significa que seja obrigatório raspar os fios antes de iniciar o tratamento. Apesar de esse ser um ritual físico e emocional para muitos pacientes, trata-se de uma escolha individual relacionada à forma como cada pessoa vai lidar com a queda dos fios durante o tratamento.

Toda a quimioterapia faz com que ocorra a queda de cabelo?

Não. A dose de medicamentos a ser aplicada em cada paciente também influencia para que isso ocorra, assim como um grupo de compostos químicos específicos quando utilizados juntos. Medicamentos usados durante a quimio, como doxorrubicina, paclitaxel e ciclofosfamida, podem causar uma queda maior dos fios, por exemplo.

O câncer de mama, bem como a leucemia e os linfomas, além de serem os cânceres mais comuns, são os que necessitam de tratamentos mais fortes — e, como consequência, pode acontecer a queda de cabelo com mais facilidade nesses casos.

A radioterapia também causa queda dos cabelos?

A radioterapia também pode ocasionar a queda dos fios, mas de uma maneira mais localizada. Isso porque o tratamento é feito de modo diferente ao da quimio: o combate às células cancerígenas, nesse caso, é feito expondo apenas a área doente aos raios de alta energia. Ou seja, apenas a área próxima ao tumor, que foi atingida pelos raios, tende a sofrer com a queda dos cabelos.

É importante ressaltar que, bem como no caso da quimioterapia, o crescimento dos fios tende a voltar ao normal ao fim do tratamento.

Existe alguma solução para amenizar a queda dos fios durante a quimio?

Uma alternativa que vem sendo utilizada por muitos pacientes é a touca de resfriamento — ou crioterapia. Trata-se de um equipamento que tem como objetivo reduzir a temperatura no couro cabeludo e, consequentemente, a queda de cabelo. A lógica por trás desse processo é que, ao resfriar o local, a circulação sanguínea é reduzida, fazendo com que o medicamento não chegue até aquela área.

Os fabricantes desse tipo de produto afirmam que a queda dos fios pode ser reduzida em até 50%, e muitos pacientes tiverem grandes benefícios, apesar do desconforto inicial.

Vale lembrar que, como o equipamento age reduzindo a circulação de sangue da região, a touca deve ser usada durante a sessão de quimioterapia: ela é colocada na cabeça do paciente e conectada a uma unidade refrigeradora.

Como lidar com a queda de cabelo e manter a autoestima?

A luta contra um câncer é um momento bastante delicado na vida de uma pessoa. Por isso, para vencer a doença, manter uma atitude positiva é fundamental.

Mais fácil falar do que fazer? Temos algumas dicas que podem ajudar você a se sentir melhor com a sua imagem, mas lembre-se: você já está sendo incrível por lidar com esse desafio.

1. Aposte nos lenços coloridos

Os lenços coloridos na cabeça já viraram um símbolo na luta contra o câncer. Várias mulheres aproveitam o momento e o adorno para se embelezarem de diferentes formas, com as mais variadas cores. Além de um gesto para aumentar a autoestima, o lenço é como uma marca de força e resistência.

2. Capriche na maquiagem

Muitas mulheres passam a vida valorizando apenas a beleza dos cabelos, sem perceber como podem valorizar os traços do rosto. Ao perderem temporariamente os cabelos, elas têm a oportunidade de capricharem e se divertirem no universo das maquiagens. Há, inclusive, vários canais no YouTube com tutoriais de make para mulheres em tratamento contra o câncer.

3. Invista em perucas

As perucas também são uma possibilidade interessante para esse momento. Hoje em dia, é possível encontrar peças de excelente qualidade, confeccionadas a partir de fios naturais. Escolha uma ou várias para ter visuais diferentes! Além disso, vale a pena buscar uma clínica de tratamento que ofereça parcerias especiais com empresas de próteses capilares.

4. Adote bons chapéus

Outra solução que está na moda é o chapéu. Tanto as mulheres quanto os homens podem se divertir escolhendo as diversas opções disponíveis no mercado, desde os mais descolados aos mais clássicos. Esse acessório também traz outro benefício: o cuidado com a pele — que, cá para nós, não deve ser exclusivo dos pacientes oncológicos, certo?

Os cabelos voltam ao fim do tratamento?

Sim! Mais ou menos um mês após a suspensão da medicação, os fios voltam a nascer, mas pode ser que eles surjam com uma textura e tonalidade diferentes daquelas que sempre tiveram.

Isso acontece porque os quimioterápicos influenciam o ciclo do crescimento capilar. Mas não se desespere: depois de cerca de um ano, tudo costuma voltar ao normal. Geralmente, o ritmo do surgimento desses novos fios vai ser o mesmo de antes: se o cabelo crescia rápido, assim será. Se demoravam mais, a tendência é continuar assim.

Também é possível que os fios comecem a nascer com falhas. Nesse caso, um dermatologista especializado pode ajudar indicando um tonalizante específico. Mas lembre-se de que não existe fórmula mágica para acelerar esse crescimento, é possível, no entanto, fazer massagens diárias na região com um óleo, a fim de estimular o crescimento dos fios.

A queda de cabelo na quimioterapia pode, sim, balançar a autoestima por alguns momentos, o que é bastante natural. Mas lembre-se que os seus cabelos não definem você, e essa é apenas uma fase a ser superada.

Quer ler mais sobre o que acontece depois da quimio? Veja como fica a imunidade depois do tratamento.

Você também pode gostar

Um comentário em “Queda de cabelo na quimioterapia: 4 dicas para manter a autoestima!

  1. Boa tarde!
    Sugiro que seja acrescentado junto as reportagens sobre queda de cabelos um paragrafo sobre sombrancelhas e cílios.
    ATENCIOSAMENTE,
    MYRTHES CARAM
    IPATINGA .MG

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!