Veja os desafios do retorno ao trabalho após afastamento por doença

retorno ao trabalho após afastamento por doença
3 minutos para ler

Mesmo com todos os avanços que a medicina e a ciência oferecem , existem situações que ainda podem ser complexas para quem passou por alguma enfermidade mais séria ou enfrentou um tratamento mais profundo. Pensando nisso, preparamos este post mostrando os desafios do retorno ao trabalho após afastamento por doença.

É preciso compreender que a própria legislação brasileira prevê direitos para os pacientes e assegura que a volta às atividades profissionais seja feita de maneira adequada e condizente com seu quadro clínico, de forma que não haja prejuízo para sua saúde física e mental. Continue lendo e aprenda mais sobre o assunto.

Como é o afastamento por doença?

O afastamento do trabalho por doença não é um momento fácil para qualquer pessoa, mas é preciso saber como fazer isso do jeito certo, até para poder se tratar sem maiores problemas. É fundamental que o empregado apresente um atestado médico para comprovar a necessidade de afastamento, bem como para indicar os dias necessários de ausência.

O empregador tem a responsabilidade de arcar com as remunerações do seu colaborador por até 15 dias e, a partir do 16º dia, ele passa a receber do INSS. Vale ressaltar que, no caso do câncer, na fase sintomática, o trabalhador cadastrado no FGTS que portar neoplasias malignas ou que tenha dependentes com o problema também poderá fazer o saque do seu FGTS. O Instituto Nacional do Câncer, entendendo a complexidade desse momento, tem uma página exclusiva para esclarecer todas as dúvias sobre os direitos sociais do paciente oncológico.

Quais os desafios do retorno ao trabalho?

Agora que você já entendeu um pouco melhor o que é o afastamento por doença, vamos falar sobre outro tema bastante relevante, que são os desafios que um profissional pode enfrentar no momento de retornar ao seu trabalho. Com esse conhecimento, pode ser mais fácil vencê-los. Acompanhe!

Dificuldade de adaptação à rotina

O tratamento de diversas doenças pode trazer efeitos físicos, mentais e emocionais. O paciente oncológico, por exemplo, deve compreender que o seu retorno ao trabalho é algo extremamente positivo, mas que deve ser condicionado a adaptações. Alguns fatores devem ser considerados, como redução de carga horária e flexibilização do expediente.

Autoestima e autoconfiança em baixa

Alguns pacientes, por conta de todo o esforço demandado no tratamento de doenças mais sérias, podem apresentar baixa autoestima e falta de autoconfiança. Por isso, é preciso destacar que o autocuidado é muito importante nessa fase. É preciso dormir bem, realizar atividades prazerosas, caprichar na alimentação e se cercar de pessoas amadas.

Efeitos colaterais durante o tratamento

Algumas vezes, o retorno ao trabalho após afastamento por doença acontece ainda quando o paciente está em tratamento. Naturalmente, sessões de quimioterapia, por exemplo, podem oferecer efeitos colaterais e o acompanhamento médico e a compreensão da empresa serão cruciais nessa fase.

Como você pôde ver, existem sim alguns desafios no retorno ao trabalho após afastamento, mas completamente possíveis de serem superados. Seguir as recomendações médicas, manter o acompanhamento e contar com uma empresa que respeite seus funcionários e reconheça os seus direitos é um caminho seguro a ser seguido.

Gostou de entender melhor quais são os desafios do retorno ao trabalho após afastamento por doença? Então, não deixe de fazer um comentário aqui no post!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!