Um breve panorama sobre o aumento do tabagismo na pandemia

tabagismo na pandemia
3 minutos para ler

Pessoas de todo o planeta vêm mudando os seus hábitos nos últimos tempos como forma de reagir às demandas que foram impostas pelo novo coronavírus, sobretudo aquelas relacionadas a imposições de distanciamento e isolamento social. E você, consegue imaginar que essas mudanças proporcionaram um aumento do tabagismo na pandemia?

Pois é, por mais que a Covid-19 seja uma doença respiratória, os problemas que ela trouxe, especialmente os relacionados às medidas de restrição, elevaram o número de fumantes, o que pode fazer com que sua qualidade de vida piore significativamente, colocando-os ainda mais em risco. Portanto, para saber mais sobre esse assunto, continue lendo este texto!

O aumento do tabagismo e suas principais causas

Como dissemos, as imposições de isolamento e distanciamento social trouxeram novos hábitos sociais. Com mais tempo para ficarmos em casa e muitas horas de ociosidade, muitas das pessoas que estavam habituadas a sair e socializar com parentes, amigos e colegas de trabalho viram a ansiedade aumentar, como um reflexo da complexa situação, e o cigarro acaba se tornando um refúgio nesses momentos.

A nicotina, que está presente em todos os derivados do tabaco, é uma droga e pode causar dependência. Trata-se de uma substância psicoativa, ou seja, que gera sensação de prazer, um gatilho muito comum para disparar males de abuso e descontrole. O pior de tudo é que, além do dependente, quem está por perto também pode ficar exposto à fumaça e aos males do cigarro.

Quais são os maiores riscos do tabagismo

Não é novidade para ninguém que o maior risco do tabagismo é o câncer de pulmão. No entanto, infelizmente, isso está longe de ser o único problema que pode ser ocasionado ou favorecido pelo consumo de cigarros. São muitas as consequências para a saúde não apenas do tabagista, mas também para qualquer fumante passivo.

Ainda no aspecto pulmonar, os derivados do tabaco podem desenvolver enfisemas e bronquite. Eles também produzem alterações cardiovasculares nocivas, acelerando os batimentos cardíacos e contraindo as principais artérias, elevando a pressão arterial. Com isso, podem gerar infartos e AVCs, por exemplo.

O que fazer para se livrar do vício 

Se você começou a fumar durante a pandemia, preste bastante a atenção, especialmente se considerarmos que o novo coronavírus ataca as vias áreas e também produz alterações cardiovasculares. Querer se livrar desse vício e marcar uma data para parar de fumar são os primeiros passos para ter sucesso nesse desafio.

De início, você pode ir reduzindo o número de cigarros progressivamente, até chegar o dia no qual não fumará nenhum. Além disso, evite ter maços em casa e retire objetos relacionados, como cinzeiros e isqueiros. A ajuda profissional também pode ser muito importante, com o auxílio de médicos que podem prescrever alguns remédios, psicoterapia e acupuntura.

Depois de conferir nosso breve panorama sobre o aumento do tabagismo na pandemia, você pôde perceber que esse vício pode elevar os riscos à saúde em um momento tão delicado. Portanto, mantenha-se longe do cigarro e adote outros hábitos saudáveis.

Você tem dúvidas sobre o aumento do tabagismo na pandemia? Então, não deixe de fazer um comentário aqui no post!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!