Afinal, é permitido realizar tratamento estético durante o câncer?

tratamento estético e câncer
6 minutos para ler

Sabemos o quanto um tratamento oncológico pode refletir na vida do paciente, tanto no que diz respeito às questões psicológicas quanto no que é relacionado às físicas — que também influenciam umas às outras. Afinal, acompanhar a queda dos cabelos, por exemplo, pode afetar a autoestima, deixando a pessoa mais triste e desanimada.

Por esses motivos, muitos pacientes querem fazer procedimentos relacionados à aparência, a fim de se sentir melhor e não apresentar uma ” aparência de pessoa doente”. Mas qual é a relação entre tratamento estético e câncer?

É possível, realmente, fazer esses processos sem prejudicar o tratamento contra a doença ou, até mesmo, sem colocar em risco a saúde? Quais são os cuidados que precisam ser tomados, de forma geral? São essas as questões que vamos abordar neste conteúdo. Continue a leitura!

Conheça os tratamentos estéticos permitidos

Antes de tudo, é preciso ter em mente que não existe uma resposta generalista sobre ser aconselhável ou não que um paciente oncológico passe por procedimentos estéticos durante o câncer. Isso porque são vários os fatores que determinam essa possibilidade, como:

  • que tratamento estético é esse;
  • qual é o tratamento oncológico que o paciente está fazendo;
  • qual é o estado de saúde do paciente.

Apenas a equipe médica é capaz de responder a essas perguntas, por isso, é fundamental consultar o profissional responsável antes de iniciar qualquer processo.

De forma geral, alguns tratamentos estéticos podem ser feitos. Confira!

Drenagem linfática e massagens mais vigorosas

Apesar de haver muita preocupação a respeito da drenagem linfática em pacientes oncológicos, a princípio, a literatura médica não traz evidências de que esses procedimentos pioram a evolução clínica do paciente.

As massagens relaxantes, por sua vez, podem ajudar no controle da tensão e da ansiedade, trazendo ao paciente conforto e tranquilidade.

Tratamento das unhas em casa

Como você verá em seguida, ainda neste texto, é essencial evitar qualquer tipo de procedimento que possa ser uma porta de entrada para possíveis organismos, visto que, durante o câncer e o seu tratamento, o organismo apresenta uma baixa de imunidade.

Por isso, é preciso evitar fazer as unhas nos salões de beleza e ter muito cuidado para fazê-las em casa também, utilizando apenas materiais esterilizados. Se possível, compre um novo kit com alicate, espátula e palito de unha e separe-o apenas para o seu uso.

Cuidados simples com a pele

Os tratamentos de quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia, geralmente, causam efeitos na pele, na mucosa e nas unhas — que podem, inclusive, perdurar por toda a vida.

O ressecamento e a descamação são algumas dessas alterações, e é não apenas permitido, mas também aconselhável, a utilização de sabonetes líquidos, xampus e hidratantes hipoalergênicos, que vão ajudar a manter a pele hidratada e trazer conforto ao paciente.

Além disso, esfoliações leves podem ajudar na remoção da pele, que tende a descamar.

Maquiagem

Geralmente, as mulheres são as mais afetadas no que diz respeito ao tratamento estético e ao câncer, pois ficam mais abaladas com a perda dos cabelos e também com o inchaço decorrente do tratamento.

Não por acaso, existem muitos canais e blogs na internet de pessoas que estão passando por esse momento e que compartilham tutoriais e dicas de beleza, como maquiagem e, até mesmo, amarrações de lenços na cabeça.

Além das dicas, essas pessoas são verdadeiros exemplos de alto-astral e merecem o clique.

Saiba quais procedimentos devem ser evitados

Em resumo, em pacientes que estão em tratamento, especialmente durante a quimioterapia, é prudente evitar procedimentos que quebrem as barreiras naturais do organismo, por exemplo, na pele, em mucosas etc. Isso porque, como já dissemos, as pessoas, nessa fase, têm a imunidade mais baixa, e qualquer micro-organismo pode ser fatal para uma piora no estado de saúde.

Ou seja, não vale a pena se arriscar por determinados tratamentos estéticos. Veja quais são os contraindicados a seguir.

Pintar os cabelos

Devido às substâncias potencialmente tóxicas que podem existir nos produtos utilizados para cuidados com os cabelos, o paciente, a princípio, não deve entrar em contato com esses itens.

Fazer as unhas no salão

Como dito, o processo de fazer as unhas merece atenção, até mesmo, das pessoas que não têm nenhuma doença, pois pode causar inflamações severas e outros problemas de saúde. Evite sempre que possível ou, no mínimo, utilize os seus próprios acessórios.

Fazer tratamentos de pele

Durante essa fase, alguns procedimentos, como peelings, criolipólise, ultrassom e outros que utilizam ondas eletromagnéticas e laser, são altamente não recomendados. Além de quebrarem as barreiras da pele, esses tratamentos podem ferir os tecidos que já estão debilitados, piorando a condição, em vez de melhorá-la.

Fazer procedimentos estéticos

Aparentemente inofensivos, determinados procedimentos, como o botox e a micropigmentação, também devem ser evitados pelo risco de infecções.

Entenda a importância do acompanhamento médico

Como dissemos, toda e qualquer intenção de fazer um tratamento estético deve ser discutida com o médico especializado. Afinal, todo o tratamento oncológico pode ser prejudicado por causa de um procedimento não indicado.

Isso porque um processo como esse pode ser a entrada de micro-organismos que podem piorar a condição de saúde do paciente, dificultar o cuidado com os efeitos colaterais e, até mesmo, interromper o tratamento.

Os profissionais da Oncomed BH sabem como um tratamento oncológico pode ser cansativo e longo e abalar emocionalmente um paciente. Por isso, são preparados para cuidar também dessas questões (além da doença), auxiliando no que for necessário.

Inclusive, as equipes multidisciplinares da Oncomed BH trabalham juntas para que as dificuldades de cada paciente sejam acompanhadas de forma individualizada. A orientação psicológica também é fundamental nesse momento em que a pessoa está com a autoestima abalada.

Por fim, vale lembrar que, mesmo após a finalização do tratamento oncológico, é preciso informar-se com o médico sobre o período de espera necessário para realizar procedimentos estéticos sem nenhuma restrição.

Tratamento estético e câncer são dois elementos que estão diretamente relacionados, pois um interfere no outro. Mas se você está passando por esse momento (ou conhece alguém que esteja), é preciso ter a consciência, sempre, de que a saúde vem em primeiro lugar. É fundamental se cuidar de dentro para fora.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você! Se restou alguma dúvida ou se você quiser conversar com os profissionais da Oncomed BH, entre em contato!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!