Vacinação e câncer: esclareça as suas principais dúvidas com a Oncomed

vacinação e câncer
6 minutos para ler

Pacientes oncológicos — devido às medicações utilizadas no tratamento — ficam com o sistema imunológico mais enfraquecido. Com o início da imunização contra a covid-19 em janeiro de 2021 no Brasil para profissionais de saúde e outros grupos prioritários, é comum que surjam dúvidas quando o assunto envolve vacinação e câncer. É seguro que pessoas com câncer recebam a vacina? Existe alguma contraindicação?

Para responder a essas e a outras questões, neste post, entrevistamos o Dr. Alexandre Fonseca, oncologista clínico e coordenador do serviço de oncologia da clínica Oncomed BH e do Instituto Orizonti. Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas sobre vacinação e câncer!

Por que é importante que pacientes oncológicos se vacinem contra a covid-19?

Com a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) das vacinas CoronaVac (produzida pelo Instituto Butantan) e da Astra Zeneca/Oxford (produzida pela Fiocruz/RJ), é muito importante que o maior número possível de pessoas tome as doses do imunizante. “Além de contribuir para reduzir o número de infecções, temos também uma redução da morbidade, das consequências da doença e até da mortalidade“, reforça o Dr. Fonseca.

Estudos apontam que pacientes com câncer apresentam um risco aumentado de desenvolver complicações e também uma maior mortalidade quando apresentam infecções pelo novo coronavírus. Desse grupo, o risco é maior para aqueles com câncer em atividade, tumores hematológicos, câncer de pulmão, entre outros.

Dessa forma, é fundamental que esses pacientes se vacinem, visto que o imunizante se mostra seguro e eficaz. Para quem fica preocupado, é só lembrar que esse grupo está acostumado a tomar a vacina influenza, cujos estudos demonstram que confere uma proteção para os pacientes, reduzindo as hospitalizações.

Atraso no tratamento

Além da gravidade da covid-19 em pacientes com câncer, a doença pode, ainda, atrapalhar o cuidado oncológico, atrasando exames e terapias. Além de uma taxa de sucesso inferior em relação à cura, os atrasos também podem trazer mais morbidade para o tratamento. Por essa razão, a vacina é tão necessária para esse grupo.

Quais vacinas esses pacientes podem tomar?

Em relação à covid-19, as vacinas CoronaVac e a de Oxford não apresentam contraindicações para essa parcela da população. A CoronaVac utiliza o vírus inativado e a de Oxford utiliza um adenovírus — que é um vetor do material genético do coronavírus —, mas que é incapaz de replicar em humanos.

Nos estudos das vacinas aprovadas no Brasil, alguns pacientes desenvolveram reações adversas, que foram reações leves, por isso, é importante que o paciente oncológico se submeta à vacina. É, portanto, essencial que os pacientes em tratamento oncológico ou em acompanhamento recebam a imunização“, orienta Dr. Fonseca.

Muita gente pode pensar que já ficará protegida se outras pessoas tomarem a vacina, pois serão reduzidas as chances de circulação do vírus. Contudo, devido à maior possibilidade de complicações e de mortalidade em pacientes com câncer, é recomendado que eles sejam imunizados mesmo se grande parte da população esteja vacinada.

Tipos de vacinas contraindicadas

Quando se fala em imunização, as vacinas contraindicadas para pacientes em tratamento oncológico e imunossuprimidos são aquelas com o vírus vivo (atenuado), que não é o caso das utilizadas contra o coronavírus. Exemplos de vacinas contraindicadas são a da febre amarela, a da poliomielite e a do rotavírus.

A vacinação também vai depender do tipo de câncer?

Para as vacinas contra a covid-19, é recomendado que se considere a aplicação a qualquer paciente com câncer. “Para aqueles com tumores hematológicos (leucemias e linfomas), a vacina pode ter eficácia diferente da população em geral, mas não há estudos definitivos para afirmar isso“, explica o Dr. Fonseca.

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), pode haver variação da eficácia da vacina em diferentes situações, a depender do tipo de câncer, da sua extensão, do tratamento com imunossupressor e de outros fatores. Porém, os benefícios da imunização ultrapassam substancialmente os riscos.

Em caso de qualquer dúvida, a recomendação é de que o paciente com câncer e os seus familiares sempre conversem com o médico oncologista para receber os esclarecimentos. Isso porque é ele quem acompanha o quadro clínico do paciente e, assim, poderá passar a orientação adequada.

Quem já teve Covid-19 precisa se vacinar?

Quando se fala de vacinação e câncer, uma dúvida que muitas pessoas podem ter é se estão protegidas caso já tenham sido infectadas pelo novo coronavírus. Nessa situação, é preciso que elas também participem da campanha de vacinação. “Mesmo que o paciente com câncer já tenha tido a infecção por coronavírus, é importante a recomendação de se vacinar“, confirma o oncologista clínico da Oncomed BH.

Na realidade, não se sabe qual o período pelo qual a pessoa fica protegida, além de a vacina ser uma forma de aumentar a resposta imune do organismo sem que haja acréscimo de toxicidade do imunizante. Dr. Fonseca reforça ainda que, mesmo depois de vacinadas, essas pessoas devem manter os cuidados contra a doença: distanciamento social, suar máscara e realizar a higiene das mãos com água e sabão ou álcool em gel.

Em qual momento do tratamento é ideal que eles sejam imunizados?

Ainda de acordo com a SBOC, o ideal é que os pacientes recebam a vacina antes de iniciarem o tratamento de câncer. No entanto, como essa população é de alto risco, mesmo quem já o começou deve receber a imunização para ficar protegido contra complicações.

Para não haver dúvidas, o paciente deve conversar com o seu médico para decidir o melhor momento de tomar a vacina e, com isso, ficar mais tranquilo. Quem já passou pelo tratamento de câncer também deve ser imunizado, desde que não haja outras contraindicações.

É natural que os pacientes oncológicos e os seus familiares tenham várias dúvidas em relação à questão que envolve vacinação e câncer. Isso porque a pessoa em tratamento ou em acompanhamento de um tumor fica mais fragilizada e todos os cuidados são necessários para evitar qualquer problema.

Como visto, em relação à covid-19, é fundamental que esse grupo se vacine e esteja protegido contra complicações e mortalidade por essa infecção.

Este artigo sobre vacinação e câncer foi útil? A Oncomed BH tem o compromisso de trazer informações de saúde para pacientes, para seus acompanhantes e para a população em geral. Quer conhecer mais do nosso trabalho? Então, descubra como funciona a nossa clínica e os nossos diferenciais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Marque sua consulta pelo WhatsApp!